domingo, 2 de outubro de 2016

E a vida continua...

Muita gente perguntando do blog, acabei voltando aqui hoje e foi um bocado estranho relembrar todos esses posts e pensar em como eu era uma pessoa completamente diferente quando os escrevi.

Tanta coisa mudou nesse ano! Tanta coisa...

Em resumo: estou solteira. Vida nova, novos sonhos, novos mundos, novo tudo...

Deixo aqui registrado o quanto tudo que escrevi aqui foi importante na minha vida, e vai ficar guardado com muito carinho. Mas é isso, esse é um post de despedida, definitivamente. Porque a gente tem que morrer às vezes, pra poder renascer de uma forma nova - como uma fênix.

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

2016...

Esse não é um post de retorno ao blog (não pretendo voltar a postar com frequência), mas é que 2016 chegou e me deu vontade de vir aqui contar que seremos titias novamente em breve - breve MESMO: Laura vai ganhar uma irmã, a Esther, que está prevista para nascer no final de Janeiro agora ou início de Fevereiro!

É, pelo visto ficamos para titias MESMO! rssss!

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Um perdão a todas as mães e mulheres

Olá leitores e amigxs!! 

Resolvi retornar ao blog e redigir esse post após uns bons meses de reflexão a respeito de alguns posicionamentos meus e posturas com relação à maternidade em geral e especialmente relacionado às escolhas e posições de outras mães quanto às suas maneiras de maternar. 

Gostaria de pedir perdão a todas as mães e mulheres em geral por tê-las julgado por algum motivo. Seja por suas escolhas de como engravidar, ou por a forma que decidiram ter seus filhos, como optaram por criá-los, alimentá-los e qualquer outra coisa que cabe apenas a VOCÊS decidirem e ninguém tem o direito de julgá-las. 

Atualmente, após refletir muito sobre feminismo, empatia e sororidade entre mulheres, me sinto envergonhada por ter criticado, sido grosseira e julgado mães, sendo que eu ainda nem sou mãe e, mesmo se fosse, não teria esse direito. Nós mulheres precisamos nos unir, seja pela maternidade ou pelo simples fato de sermos mulheres. Já basta essa sociedade machista e preconceituosa para nos julgar e condenar! Não podemos fazer isso umas com as outras!

Algumas amigas de blog e Facebook me excluíram de suas redes sociais após alguns episódios em que fui rude a respeito de assuntos diversos... não julgo suas decisões, mas gostaria apenas de pedir perdão a todas. Hoje tenho plena noção de que a maternidade é muito desafiadora e que muitas mães se sentem tão sozinhas, muitas vezes esgotadas, e que precisam de apoio, de uma palavra amiga, e não de julgamentos.

Então é isso. Perdão. Sei que, salvo algumas exceções, todas fazem o melhor que podem pelos seus filhos, o melhor que está ao seu alcance. Perdão pela minha prepotência, perdão pelos meus julgamentos e críticas.

No mais por aqui as coisas estão na mesma. Há 10 dias perdi minha avó materna, que era como uma segunda mãe pra mim, e ainda está difícil e ainda dói muito. 
Nossa sobrinha Laura está linda com 1 ano e 4 meses, e nossas filhas canina e felina também estão bem e com saúde. O filho humano infelizmente ainda não tem previsão de chegar.

É isso.



domingo, 1 de junho de 2014

"Sonhos não morrem, apenas adormecem na alma da gente..."

Pausa no blog por um tempo. 
Algum dia volto!





sábado, 29 de março de 2014

Sobre crianças e preconceitos


Sobre crianças e preconceitos:

"Por fim, deixo um recado para você, homofóbico: não use crianças como desculpa para mascarar seu preconceito. Garanto-lhe que as crianças enxergam e convivem com o amor de forma livre e bonita, como for. A estupidez é sua."


segunda-feira, 17 de março de 2014

13 anos juntas...

Hoje, 17 de Março de 2014 = 13 anos juntas!


"Te amarei de janeiro a janeiro
 Até o mundo acabar"



sábado, 1 de março de 2014

Balanço dos meus 30 anos!





E há 30 anos eu vivia meu primeiro dia de vida! 
Naci às 8h da manhã, no verão de 1984, numa cidadezinha do interior de SP. Era 1º de março, uma Quinta-feira pré-carnaval. Fui (e ainda sou!) a primeira e única filha e a primeira e única neta por parte dos meus avós maternos!

30 anos... às vezes soa como uma "eternidade", mas a verdade é que a sensação é de que o tempo voou.

E hoje, para comemorar esse 1º de março de 2014 (mais uma vez num pré-carnaval!), eis aqui um pequeno "balanço" da minha vida:


  • 30 anos sendo filha e neta única;
  • 22 anos de vida estudando sem pausa, incluindo a pré-escola até a segunda faculdade;
  • 18 anos morando no interior de SP, 4 anos em Ouro Preto/MG e quase 8 anos vivendo em Belo Horizonte/MG;
  • 14 anos desde que conheci minha alma gêmea, quase 13 anos que decidimos ficar juntas e 7 anos morando sob o mesmo teto;
  • 14 anos sonhando em ser mãe;
  • 30 anos de paixão pelos animais;
  • quase 5 anos de vegetarianismo e 1 ano e 3 meses de veganismo;
  • quase 2 anos sem botar uma gota de refrigerante na boca;
  • 2 anos desde que fiz minha 1ª tatuagem e coloquei meu 1º piercing;
  • 9 anos desde que perdi meu avô paterno;
  • quase 2 anos desde que perdi meu avô materno (praticamente meu 2º pai);
  • 1 ano que perdi minha avó materna para o Alzheimer;
  • 17 anos usando óculos;
  • 5 meses como tia e madrinha "oficial" e vários anos como tia de vários sobrinhos de coração;
  • 4 anos desde que assisti e ajudei o primeiro parto da minha vida de enfermeira (e, na real, fui muito mais doula que enfermeira e me apaixonei pela função!);
  • 10 anos desejando engravidar e ter um parto natural;
  • planejando minha união civil e meu 1º bebê para um futuro não tão distante!


E que venham os próximos 30 anos, com dias ainda mais felizes, aprendizados e muitos motivos para amar a vida! 

E abaixo mais algumas "coisinhas" e curiosidades sobre o dia do meu aniversário!

Outros aniversariantes de 1º de Março:


  • 1445: Sandro Botticelli
  • 1810: Frédéric Chopin
  • 1904: Glenn Miller
  • 1917: Robert Lowell
  • 1919: Jango
  • 1954: Leão Lobo
  • 1954: Ron Howard
  • 1969: Javier Bardem
  • 1973: Jack Davenport
  • 1974: Cara Buono
  • 1981: Ana Hickmann


Notícias de 1º de Março de 1984:


  • Nasce em Curitiba o 1º bebê de proveta da América do Sul
  • "Thriller" de Michael Jackson recebe 20 vezes o disco de platina, entrando para o Guinness Book
  • Inflação aumenta para 230,1% nos últimos 12 meses
  • Carnaval caro marca fuga em massa do Rio de Janeiro
  • Manifestações no RJ e em SP a favor do restabelecimento das eleições diretas leva milhares à rua


Filmes em cartaz em 1º de Março de 1984:


  • Monty Python, o sentido da vida
  • Os deuses devem estar loucos
  • Rambo, programado para matar
  • Apertem os cintos, o piloto sumiu
  • Pink Floyd: The Wall, o filme
  • Os trapalhões na arca de Noé


Músicas mais pedidas nas rádios:


  • "Óculos", Os Paralamas do Sucesso
  • "Fullgás", Marina Lima
  • "Esquinas", Djavan
  • "Sonífera Ilha", Titãs


O que passava na TV na hora em que eu nasci (8h da manhã):


  • Balão Mágico
  • Show de Desenhos
  • Pernalonga e seus Amigos


Alguns feriados e eventos cíclicos pelo mundo comemorados em 1º de Março:


  • Dia da Independência da Bósnia e Herzegovina (1992)
  • Dia da Independência da Coreia do Sul
  • Festival da Primavera (Martenitsa) na Bulgária
  • Festival da Matronália, em honra à deusa Hera, protetora da família na antiga Grécia e na Roma antiga
  • Ano-Novo no Império Romano
  • Dia de São David no País de Gales
  • Festival da Primavera (Martisor) na Romênia e Moldávia (assemelha-se vagamente ao Dia de São Valentim)


Aniversários no Brasil em 1º de Março:


  • Aniversário dos municípios de Buritis, Felisburgo, Itamarati de Minas, Ibitiúra de Minas e São Sebastião da Bela Vista, em Minas Gerais
  • Aniversário do município de Araucária, no Paraná
  • Aniversário do município de São Sebastião do Rio de Janeiro, no Rio de Janeiro


Eventos históricos em 1º de Março:

1493 - Tripulação da caravela Pinta chega à Europa dando a notícia do descobrimento das Américas. 
1555 - Michel de Notredame, mais conhecido como Nostradamus, publica o livro "Os Séculos", contendo profecias sobre o futuro da humanidade
1692 - Começa o julgamento das "Bruxas de Salem", em Massachusetts nos EUA. 
1845 - Tratado de Paz encerra a Revolução Farroupilha.
1870 - Guerra do Paraguai termina com a vitória da Tríplice Aliança - Brasil, Argentina e Uruguai. 
1871 - Deposição de Napoleão III. 
1894 - Começa a construção da cidade de Minas, hoje Belo Horizonte. 
1896 - O físico francês Henri Becquerel descobre uma nova propriedade da matéria, a radioatividade. 
1898 - Manuel Ferraz de Campos Salles é eleito Presidente do Brasil. 
1953 - Joseph Stalin sofre uma hemorragia cerebral. Ele morreria quatro dias depois. 
1954 - EUA testam a bomba de hidrogênio mais potente do mundo no arquipélago Marshall, no Pacífico. 
1965 - Um terremoto causa a morte de 400 pessoas em Valparaíso, no Chile. 
1966 - A estação espacial soviética Vênus 3 chega ao planeta de mesmo nome e se choca violentamente contra sua superfície. 
1974 - Sete colaboradores do presidente americano Richard Nixon são acusados de participar do escândalo de Watergate. 
1981 - O membro do IRA Bobby Sands começa uma greve de fome na prisão de Maze, na Irlanda. Ele morreria 65 dias depois. 
1999 - Entra em vigor o Tratado de Ottawa sobre a proibição de minas terrestres.
2003 - Um trem descarrila em Taiwan matando 16 pessoas. 

Fontes: 

- Google
- Jornal do Brasil
(http://news.google.com/newspapers?nid=0qX8s2k1IRwC&dat=19920614&b_mode=2)

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Presentinhos

Depois de jurar que não compraríamos mais NADA para o futuro bebê, hoje eu e a esposa não resistimos e caímos na tentação: voltamos para casa com esses 2 macacões! 



A desculpa da mamãe Paula foi que são para comemorar meu aniversário de 30 anos, que será no próximo Sábado! rs! Não são fofos?!

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

É como se eu tivesse esperado toda vida pra te embalar...

Para todas as mamães e papais, casais grávidos e futuros casais grávidos:


"Reconhecimento"
(Isadora Canto)


Bem vindo meu novo ser
cercado de proteção
de tanto amor tanta paz
Dentro do meu coração.
É como se eu tivesse
esperado toda vida pra te embalar
É como se eu tivesse
esperado toda vida pra te embalar



domingo, 16 de fevereiro de 2014

Amar é arriscar. Tudo.


O amor é algo extraordinário e muito raro. Ao contrário do que se pensa não é universal, não está ao alcance de todos, muito poucos o mantêm aqui. Chama-se amor a muita coisa, desde todos os seus fingimentos até ao seu contrário: o egoísmo. 

A banalidade do gosto de ti porque gostas de mim é uma aberração intelectual e um sentimento mesquinho. Negócio estranho de contabilidade organizada. Amar na verdade, amar, é algo que poucos aguentam, prefere-se mudar o conceito de amor a trocar as voltas à vida quando esta parece tão confortável. 

Amar é Arriscar. Tudo. 

Amar é dar a vida a um outro. A sua. A única. Arriscar tudo. Tudo. A magnífica beleza do amor reside na total ausência de planos de contingência. Quando se ama, entrega-se a vida toda, ali, desprotegido, correndo o tremendo risco de ficar completamente só, assumindo-o com coragem e dando um passo adiante. Por isso a morte pode tão pouco diante do amor. Quase nada. Ama-se por cima da morte, porquanto o fim não é o momento em que as coisas se separam, mas o ponto em que acabam. 

Não é por respirar que estamos vivos, mas é por não amar que estamos mortos. 

De pouco vale viver uma vida inteira se não sentirmos que o mais valioso que temos, o que somos, não é para nós, serve precisamente para oferecermos. Sim, sem porquê nem para quê. Sim, de mãos abertas. Sim... porque, ainda além de tudo o que aqui existe, há um mundo onde vivem para sempre todos os que ousaram amar... 

José Luís Nunes Martins, in 'Filosofias - 79 Reflexões'

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Sonhos malucos de uma futura mamãe!

Desde que comecei a almejar pela maternidade que vez ou outra tenho alguns sonhos "cabulosos" sobre o tema!


Já sonhei que estava parindo e quando ia ver não era um bebê, mas um dos meus bichinhos de estimação! Já sonhei que estava amamentando e, quando ia ver, não era um bebê, mas uma boneca! rs! Já sonhei que segurava meu bebê e, de repente, ele se transformava numa folha de papel!!!


Há algumas semanas sonhei que estava numa maternidade, que meu bebê havia nascido e eu não me lembrava como havia sido o nascimento, e que estava desesperada pois não tinha nenhuma roupinha, nada! E, para piorar, estava chateadíssima, pois ninguém havia me ligado para saber notícias! rs!


E hoje, para não perder o costume, sonhei que estava grávida, no finalzinho da gestação, mas quando olhava para a minha barriga, ou não existia barriga nenhuma (???) ou então minha barriga parecia um balão (balão de ar mesmo, desses de enfeitar festas!) e era mole e leve, como um balão mesmo! E eu pegava na barriga e pensava "ué, mas tem alguma coisa de errada aqui, como é que pode ter um bebê aqui dentro?"! rs!


Sonhos malucos de uma futura mamãe muito criativa e com a mente muito fértil! Hehehe!

domingo, 2 de fevereiro de 2014

Carta de um pai para sua filha recém nascida

Descobri esse blog através de alguns compartilhamentos no Facebook e quase me desmanchei em lágrimas ao ler esse texto tão sensível e intenso que esse pai escreveu para a sua filha recém nascida!

A experiência da família em questão foi um parto natural e respeitoso da filha caçula após 2 cesáreas anteriores.

Deixo aqui uma das minhas partes preferidas do texto e no final o link para quem quiser ler na íntegra:

"Descobri, depois desses meses, dias, horas, minutos tão especiais que, no fim das contas, o parto é um momento muito simples, rápido, maravilhoso.
É o menor limite possível entre a vida e a morte. Ali, no segundo que separou você da vida aqui fora, filha, todos os relógios pararam. De um lado, o risco de algo dar errado. A morte. O nosso eterno medo diante do inevitável. Do outro lado, a chance de dar certo. A vida. O nosso eterno medo diante do desconhecido. Só que entre o inevitável e o desconhecido estava a sua mãe. E ela quis que fosse assim.
E orquestrou a valsa intensa.
Morreu a dor.
Nasceu o grito.
Morreu a lágrima.
Nasceu o sorriso.
Morreu o tempo.
Nasceu a pausa.
Pausa.
No segundo que a separava de nós, aqui fora, o momento DELA, da sua mãe. Nem eu, nem Betina, nem Celine, nem Mayra. Apenas a sua mãe, naquela sala, poderia fazer o que fez. E fez.
Nasceu você.
O seu nascimento, filha, é a morte da descrença, do medo, da inércia, do pessimismo. Você nasceu para a gente se despedir do controle. Parir é perder o controle. Perder o controle é viver em paz. Sua mãe nos deu você, você nos deu a paz. Obrigado, filha."

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

A verdade sobre os bebês...





Não. Os bebês não são como nos é dito. 
Os bebês não gostam de dormir num berço. Rodeados por grades. Presos numa gaiola. 


Não. Os bebês querem dormir ao lado do corpo da sua mãe, quentes, seguros, protegidos, amados, tocados. 



Não. Os recém-nascidos não querem nem sequer estar numa posição horizontal. Eles querem dormir no seu peito, na vertical, balançando-se ao som do seu coração. Horizontalizados retardam a digestão, têm vômitos, têm cólicas, assustam-se, sentem-se vulneráveis. 



Não. Os bebês não se acostumam aos braços: nascem já acostumados. Desde o início sabem bem o que é bom. 



Não. Os bebês não dormem toda a noite. Eles acordam a cada minuto. Para comer e para não comer. Para verificar se está ao seu lado e se se importa. Para certificar-se da sua presença, que é a sua segurança. Para tocá-la e cheirá-la. 



Não. Os bebês não querem ficar sozinhos. Eles não querem perdê-la de vista por um minuto, querem estar consigo no centro da vida. 



Não. Os bebês não querem brincar sozinhos num parque. Eles querem brincar consigo, sorrir, serem atendidos, treparem-te para cima, rastejarem pela sala. 



Não. Os bebês não querem beber leite de outra espécie. Eles querem o seu leite, que sabem ser da mamãe. 



Não. Os bebês não querem chupar todo o dia um pedaço de plástico. Eles querem chupar os seus seios, as suas pequenas mãos, os seus dedos... pele humana. 



Não, os bebês não querem que os vistam, nem que lhes coloquem tecidos que pinicam, nem brincos nas orelhas, roupas apertadas, fitas, rendas e outras coisas irritantes. Eles querem estar nus, correndo descalços, apreciando o toque da natureza na sua pele, estar pele com pele consigo. 



Não. Os bebês não querem ficar parados. Eles querem que se mova, que mexam neles, que os embalem, que ande, passeie e os leve consigo. Assim que eles podem, querem gatinhar, correr, saltar, explorar, chegar a toda a parte... 


Sim, os bebês são naturalmente curiosos. Eles querem e precisam tocar em tudo. Incluindo aquelas coisas que a vêem usar: controles, relógios, telefones, computadores... A sua riqueza sensorial desenvolve-se a partir daí. 



Não. Os bebês aprendem o que vivem. Se estão sempre a ouvir "não", estarão sempre prontos para dizerem não. Se você tem medo de tudo, em breve terão medo de tudo. 



Não. Os bebês não são macro-exigentes. Nós é que somos micro-pacientes, micro-tolerantes, micro-disponíveis e micro-respondedores. 



Não. Os bebês não querem que os deixem. Eles querem ir consigo a todos os lugares, você é o seu exemplo, a sua segurança, a sua referência, o seu único universo. 



Goste ou não goste, assim são os bebês humanos, primatas, mamíferos. Se quiser confirmar, basta ter um. Nenhuma outra espécie desconhece e prejudica tanto as suas próprias crias! Se queremos um mundo um pouco mais humano, faríamos bem em entender isto. 


Não é como nos disseram. 


Eles são infinitamente melhores e mais inteligentes. Quem quer que visse estes filhotes diria: que espécie tão avançada! Mas como é que eles se tornaram o que são? 



Fonte: http://mimitosdemama.es/no-son-como-nos-lo-contaron/

domingo, 26 de janeiro de 2014

10 coisas que aprendi com os bebês...



Fonte: Indiretas Maternas

Eles não falam, não fazem discursos, não dão lição de moral, mas nos ensinam muito. Muito mais do que aprendem, e melhor, da melhor forma possível: com exemplo. É só pararmos um pouquinho para prestar atenção e tiraremos grandes lições de vida. Sim, mesmo tão pequenos, muitas vezes, sabem muito mais da vida do que a gente. Separei aqui 10 coisas que aprendi com os bebês (os meus e os dos outros também):

1- Rir sempre de qualquer coisa, mesmo que seja de alguém fazendo careta pra você. O sorriso contagia!

2- Dormir abraçado é muito mais gostoso, exija sempre a companhia de alguém na hora do sono.

3- Fazer festa com as pequenas coisas da vida, eles fazem sempre que conseguem um novo feito, como conseguir rolar, por exemplo. Quantas vezes não valorizamos feitos muito maiores?

4- Quando alguma coisa não estiver bem, não se acostumar com isso, melhor chamar alguém e pedir ajuda!

5- Banhos são ótimos para renovar as energias e ajudam a relaxar.

6- Comemorar a chegada de pessoas queridas. Sempre!!

7- Não fingir que gosta de algo, se não gosta.

8- Exercitar-se sempre, a qualquer hora e em qualquer lugar.

9- Procurar sempre superar limites e aprender cada dia um pouco mais.

10- Colo de mãe cura tudo! Não importa a idade que tenha.  :)

Imagem: Get Images

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Pobre menino rico

Texto original retirado daqui.








O menino nasce na melhor maternidade do Estado. Sua mãe se recupera da cirurgia enquanto familiares e amigos celebram a chegada do herdeiro com champanhe e coquetel. Enquanto isso, o menino fica no berçário, exposto em uma vitrine com a sua melhor roupinha.
Em casa, seu quarto de capa de revista o aguarda. Berço e cama da babá com enxoval personalizado, com o nome do bebê bordado em dourado. Babá eletrônica de última geração, para os pais acompanharem com atenção os cuidados da babá com o maior tesouro da família.

Depois de algumas semanas, mamadeiras e chupetas ortodônticas importadas substituem o peito materno, porque a mãe tem pouco leite. Mas não faz mal, o menino vai se consultar com o melhor pediatra que irá lhe receitar o melhor leite artificial do mercado.

Durante o dia, mãe e babá levam o menino para passear em seu carrinho de bebê importado. Frequentam os melhores clubes e shoppings da cidade. Enquanto a mãe compra as melhores roupinhas para o menino, a babá o distrai empurrando o carrinho. Em casa, os melhores brinquedos, com sons educativos, o mantêm entretido.

À noite, o menino chora. Quando colocado no berço, o berreiro é certo. A mãe se surpreende:
- A fralda está limpa! Não tem fome! Não tem frio! Parece que o berço tem espinho!
- É manha, alguém decreta.
- Deixa chorar que ele precisa aprender a dormir no berço, outro responde. Insegura, a mãe enfim concorda.

Quando completa um ano de idade, o menino comemora o aniversário no melhor buffet. 300 convidados o pegam no colo para o fotógrafo fazer o registro. O melhor fotógrafo da cidade, é claro. Depois da festa, o menino chega em casa e se depara com centenas de presentes em seu quarto. E ele se distrai mais com os embrulhos do que com os brinquedos.
Agora o menino já anda e quer explorar o mundo por conta própria. Mas, mesmo no parque, precisa ficar no carrinho para não sujar as suas roupas caras. Praia, nem pensar! A areia e o mar são imundos e podem passar doenças. Em casa, é montada um linda brinquedoteca, com piso emborrachado. É ali que ele deve brincar, em segurança.
Pobre menino rico. Tem tantos brinquedos, só não tem com quem brincar.

Os pais viajam com freqüência, mas nunca levam o menino.
- Ele ainda não tem idade para aproveitar, diz o pai.
- Sim, ficará melhor em casa com a babá, seguindo a sua rotina, concorda a mãe.
Começa a falar e, quando chama a babá de “mamãe”, estranha que no dia seguinte aparece outra babá para o trabalho. Mal convive com o pai, que durante a semana chega do trabalho quando o menino já está dormindo. Afinal, precisa trabalhar bastante para garantir as melhores coisas para o menino: o apartamento no melhor condomínio, a melhor babá, o melhor clube, a melhor escolinha.
Aos finais de semana, o pai precisa relaxar. Sai com a mãe para festas e jantares com amigos. Como os ambientes não são apropriados para crianças, o menino fica em casa com a babá.

Perto dos dois anos de idade, o menino já não é mais tão bonzinho. Faz birra, faz malcriação, numa tentativa desesperada de chamar a atenção. Dão bronca, dão castigos, gritam:
 - Menino ingrato! Tem tudo! Mimado!
 Mas todos os brinquedos que tem não conseguem preencher o vazio que parece aumentar em seu pequeno peito.
O menino cresce mais um pouco e lhe enchem de atividades. Além da escola bilíngüe, inglês, mandarim, natação e tênis. Precisa se preparar desde já para o mercado profissional. O menino ainda tenta explicar que prefere jogar bola quando não está na escola, mas não lhe dão ouvidos.
Pobre menino rico. Tem tantas ideias, só não tem com quem conversar.

Com o tempo, o menino desiste. A birra dá lugar à apatia. Passa o tempo livre na frente da TV, do computador, do videogame. Numa última tentativa de fugir da realidade.
Até que os pais percebem que tem algo errado.
- Esse menino não se interessa por nada, não ri! Como isso é possível? Nós sempre lhe demos tudo! Deve ter algum problema…
Levam o menino a um psiquiatra, o melhor da cidade. É diagnosticado com TDAh ou qualquer outro distúrbio comportamental. Os pais respiram aliviados.
- Eu sabia que ele tinha algum problema! E voltam para casa, satisfeitos, com a caixinha do remédio que o médico receitou.
Pobre menino rico. Tem tudo, só não tem o essencial.

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Maternidade, desafios e ansiedade!



Crônica de mãe: o que estaria acontecendo com o bebê?




Pode parecer papo de futura mãe doida, mas hoje, quando li esse texto, me senti ainda mais ansiosa para vivenciar toda essa gama de experiências, aprendizados e desafios que a maternidade traz!

Acho que ninguém nunca estará 100% pronto para ser mãe ou pai, mas a verdade é que, dentro da minha realidade, me sinto pronta... quero mergulhar nesse mundo e me abrir para todas essas novidades, dificuldades e emoções! Ah, como eu quero...! Espero realmente que tudo dê certo e que em 2015 eu possa vir aqui relatar as minhas experiências como mãe!

Imagem: Amanda Greavette



quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Produtos para grávidas, mamães e futuras mamães empoderadas!

Descobri o Ilithia, um site de compras de produtos "maternos", e achei espetacular!

Ele pertence a ninguém mais ninguém menos que uma das minhas ídolas da humanização do nascimento, a obstetriz Ana Cristina Duarte, e seu objetivo é vender kits úteis para o parto domiciliar, artigos para bebês, produtos para amamentação, entre outros!

Já está na minha lista de favoritos e quero recomendá-lo aqui, para quem interessar:


quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Olá 2014!



2014 já começou nas nossas vidas de maneira especial: passamos a virada do ano na praia, ao lado da família da Paula e da nossa sobrinha linda! Ela completou 3 meses ontem e está a coisinha mais fofa que alguém pode imaginar!

Foi uma delícia passar esses 6 dias ao lado dela, cuidando, dando banho, trocando fraldas, brincando, fazendo dormir, etc. Isso tudo nos deixou ainda mais ansiosas para termos nosso bebê! E meus cunhados, pais da Laura, ainda botam a maior pilha, dizendo que não vêem a hora de terem um sobrinho! 

Sinto que esse ano será especial e tenho fortes esperanças de que passarei a virada do ano de 2015 com um bebê na barriga! Dia 30 agora tenho consulta com a minha ginecologista para ver se está tudo OK com o "forninho"! rs!

Beijos a todos os meus leitores e um feliz 2014!!! 

sábado, 21 de dezembro de 2013

Quase 3 meses de Laurinha...


Daqui pouco mais de 15 dias nossa sobrinha completará 3 meses de vida!
TRÊS MESES!
Mas já?!!!
Sinto como se fosse ontem que estávamos todos ansiosos pela chegada dela! E agora a nova dona dos nossos corações já está crescendo, dando altas risadas, amolecendo cada vez mais nossos corações e fazendo o que ela faz de melhor: sendo fofa! rs!
 
Laura é um amor de bebê! Muito boazinha, mama exclusivamente no peito, dorme quase o tempo todo e, quando está acordada, adora brincar e dar gargalhadas! Seu momento preferido do dia é a hora do banho de banheira e do banho de balde! Ela ama água!
 
Nunca imaginei que poderia amar tanto assim um bebê! Fico imaginando como será quando for nosso filho, se já amamos tanto assim nossa sobrinha!
 
Daqui 1 semana viajaremos para a praia com meus sogros e meus cunhados e ficaremos uma semana com a nossa neném! Mal posso esperar, já estou morta de saudades dela!
 
Como é bom ser tia! :)

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Esperança

Esperança é uma crença emocional na possibilidade de resultados positivos relacionados com eventos e circunstâncias da vida pessoal. A esperança requer uma certa perseverança — i.e., acreditar que algo é possível mesmo quando há indicações do contrário.
(Wikipedia)
 
esperança
es.pe.ran.ça
sf (de esperar) 1 Ato de esperar. 2 Expectativa na aquisição de um bem que se deseja. 3 Aquilo que se espera, desejando.
(Dicionário Michaelis)
 
Coisas boas acontecendo por aqui!
Se tudo continuar correndo bem, 2014 será um ano ainda melhor do que imaginei! ;-)

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Chega Dezembro e as esperanças se renovam

Dezembro é um mês que deixa as pessoas com um ar "promissor". Comigo não é diferente.
 
Não por causa do Natal, pois eu e a esposa, particularmente, vemos essa data como uma outra data qualquer, pois não somos religiosas. Mas acho que Dezembro tem um ar promissor por ser o último mês do ano.
 
É uma sensação ilusória, eu sei, mas a ideia de que temos um novo ano pela frente sempre me deixa esperançosa! 2014 é um ano com muitos significados para mim.
Sempre foi.
Durante toda a minha vida adulta, planejei que seria 2014 o ano em que eu seria mãe...
 
Bem, acontece que as coisas não saíram como eu esperava... mas, ainda não perdi totalmente a esperança de que 2014 será um ano diferente! As coisas estão tomando um rumo nas nossas vidas e, finalmente, estamos tomando decisões que farão a diferença. Talvez não seja 2014 o ano do nosso filho, mas provavelmente será o ano em que começaremos a tentar trazê-lo para junto da nossa família!
 
Depois de refletir muito e de conversar muito sobre esse assunto com a esposa, decidi que não quero desistir. Em menos de 3 meses assoprarei as 30 velinhas no bolo e quero que minha entrada na década dos 30 seja comemorada concomitantemente com a busca pelo nosso filho.
 
Vamos tentar.
Pode ser que não dê certo, temos consciência disso, mas não vamos desistir! Acho que temos muito a oferecer a um filho - não material, pois não somos ricas - mas ensinamentos, lições, amor ao próximo, enfim, temos muita coisa bacana para ensinar, e acho que, definitivamente, o mundo está precisando de mais pessoas 'humanas', menos consumistas, menos materialistas, e é isso, dentre muitas outras coisas, que queremos ensinar ao nosso filho.
 
Agora resta torcer para que o universo conspire a nosso favor!

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Músicas...

Sabem quando ouvimos uma música e temos "a" sensação de que foi feita pra gente?

Então...


quinta-feira, 21 de novembro de 2013

23 curiosidades sobre mim...

Tudo começou com uma brincadeira no Facebook, onde você curte o post onde algum amigo fala as curiosidades sobre ele, em seguida esse amigo te dá um número e, com esse número, você tem que listar curiosidades sobre você!

Acabei participando e achei bacana (e até mesmo terapêutico) escrever sobre mim! Então resolvi compartilhar aqui no blog para que meus leitores também possam me conhecer um pouco melhor!

1. Eu era gêmea, mas minha mãe teve um sangramento no primeiro trimestre da gestação e só descobriu que era outro bebê quando eu nasci. 

 2. Quando eu era criança meus pais tentavam não deixar que eu visse quando filhotes de pássaros caiam dos ninhos, porque eu chorava para levá-los para casa e cuidar e depois ficava dias chorando e pensando nos filhotes (se fosse hoje em dia eu levaria e cuidaria, mas meus pais não sabiam como fazer isso!). 

3. Meu sonho de infância era ter um irmão, mas minha mãe tinha um problema que a fez perder 5 bebês e acabou numa histerectomia aos 34 anos de idade. 

4. Na adolescência eu me vestia de preto, usava maquiagem pesada, ouvia heavy metal, era fã do Marilyn Manson e gostava só de coisas mórbidas e góticas! Atualmente ainda curto esse estilo "dark" e ainda ouço heavy metal, mas as roupas exclusivamente pretas, o Marilyn Manson e a maquiagem pesada ficaram no passado! 

5. Conheci o amor da minha vida pelo ICQ aos 16 anos de idade, passamos poucas e boas para ficarmos juntas e hoje, quando olho para trás, sei que faria tudo novamente se fosse necessário! 

6. Antes de me formar em enfermagem me formei em Turismo, mas nunca exerci a profissão. 

7. Fui batizada e criada na igreja católica, depois me tornei espírita e, por último, budista. Atualmente me considero ateísta agnóstica. 

8. Não como nenhum tipo de carne há 4 anos e nenhum derivado de leite e ovos há 11 meses. Tenho uma saúde ótima, não fico doente há anos, curei minha asma e curei 90% da minha rinite alérgica. 

9. Defendo com unhas e dentes os animais e a natureza, diariamente tenho vontade de mandar parar o mundo e descer quando vejo as maldades que acontecem por aí... 

10. Se eu pudesse fazer apenas 1 pedido, qualquer pedido, diferente da maioria das pessoas eu não pediria para ganhar na mega sena, mas sim para poder ter um filho biológico com a minha esposa Paula. Acho que deve ser uma coisa sensacional olhar para seu filho e ver traços seus misturados com os da pessoa que você ama! 

11. Um dos meus maiores sonhos é gestar um bebê e parir lindamente num parto domiciliar, somente com a Paula ao meu lado, minha doula e uma parteira! 

12. Sou defensora do parto natural, da amamentação, da criação com apego, do quarto compartilhado, dos slings e de um estilo de vida e alimentação o mais naturais possíveis! 

13. Abomino o consumismo desenfreado que vejo todos os dias por aí! Aprecio um estilo de vida mais simples e gosto de estar entre pessoas que valorizam o "ser" e não o "ter". 

14. Sou louca por bebês! Acho que não existe nada mais apaixonante nesse mundo do que bebês! 

15. Sou feminista de carteirinha e tenho pavor quando ouço comentários machistas das pessoas ao meu redor e quando vejo pais e mães ensinando seus filhos e filhas a serem machistas. 

16. Durante meu estágio na maternidade eu chorava emocionada disfarçadamente todas as vezes que assistia um parto. 

17. Sonho em morar numa fazenda, viver diariamente em contato com a natureza e resgatar animais que sofrem maus tratos. 

18. Detesto ter que precisar da reprodução assistida para engravidar! Invejo casais que podem engravidar fazendo sexo! rs! 

19. Meu sonho para o futuro é ser escritora! Amo escrever, já ganhei alguns concursos de redação e há alguns anos comecei a escrever um romance que ainda não terminei, mas sonho em publicá-lo algum dia. 

20. AMO estórias e filmes de fim de mundo e de zumbis! Se tiver os 2 juntos, então, melhor ainda! rs! 

21. Já cheguei a pesar 93kg! 

22. Já fiz cirurgia plástica. 

23. Adoro ratos! Já tive 3 ratos de estimação, não tenho medo de ratos de esgoto e a única vez que um rato de rua entrou no meu apartamento dei um jeito de prendê-lo vivo e depois soltei!

Quem quiser aderir à brincadeira, deixe um comentário aqui no post que eu dou um número de curiosidades para você fazer sobre você! :-P

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Feriado com a sobrinha e planos para o futuro!

 
 
Fomos passar o feriado na cidade dos meus sogros, para curtir por mais alguns dias a nossa sobrinha! Ela completou 40 dias de vida nesse Sábado, está uma gostosura só! É muito boazinha, só chora quando quer mamar e quando está com a fralda suja!
 
Eu e Paula corujamos ela um montão! rs! Demos banho nela várias vezes, e é a maior festa, ela AMA tomar banho! Ela dormiu no nosso colo quase o feriado inteiro, fomos num estúdio fazer fotos dela no Sábado e passeamos com ela no sling... até perdi as contas do tanto de fraldas que trocamos, hahaha! Eu e Paula adoramos trocar fraldas, todas as vezes que ela fazia xixi ou cocô a gente se oferecia para trocar! E ela ama quando trocamos sua fralda, faz a maior farra, dá risada... gente, essa menininha é um amor, impossível não se apaixonar!
 
Também revemos o filho de 7 meses de uma amiga nossa e no Domingo comemoramos o aniversário da minha sogra! Foi uma delícia de feriado! A única parte ruim foi vir embora.
 
Ficamos tão empolgadas com a chegada da nossa sobrinha que nosso desejo pela maternidade se aflorou ainda mais! Decidimos que no final do ano que vem, no máximo, começaremos a correr atrás da nossa FIV! Já estamos fazendo nossas economias e guardando dinheiro para o tratamento! Antes vamos nos programar para fazer nossa união civil e, logo que tivermos dinheiro suficiente, marcaremos uma consulta para começar as tentativas de encomendar um(a) priminho(a) para a Laura! Mal posso esperar!
 
Aguardem cenas dos próximos capítulos...

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Regras da vida

 
Acho que estamos fazendo do jeito certo! rs!
Que venham as bodas de Ouro!
 
Fonte: Facebook

sábado, 26 de outubro de 2013

Últimas...

Depois de quase 20 dias sem postar, senti vontade de vir aqui e relatar os últimos acontecimentos: logo após o aniversário da Paula, passamos dias bons e, logo em seguida, dias péssimos! Após viajar para conhecer nossa sobrinha (que é a coisinha mais linda desse mundo e me deixou perdidamente apaixonada!), quando voltei para BH, nossa coelhinha de estimação de 3 anos e meio adoeceu, foi internada e faleceu no mesmo dia. Ela teve um problema gastrointestinal comum em coelhos e, infelizmente, muito grave. Foi uma perda muito difícil pra gente, sofremos muito e ainda estamos tentando catar os caquinhos dos nossos corações e nos conformar. Ela era nosso xodó, nosso bebê, nossa companheirinha de todas as horas! Estamos passando por tempos difíceis e essa perda só ajudou a piorar as coisas.
 
Mas, estamos tentando tocar a vida!
Ao menos agora temos a Laura para alegrar um pouco nossos dias! Estamos contando as horas para retornar à cidade natal da Paula e vê-la novamente.
 
Por hora é só.
Quando surgir algo legal para contar ou alguma novidade eu volto. Enquanto isso, torço para que tempos melhores venham.

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Feliz aniversário, meu amor!



Hoje é aniversário da Paula, mas, não é só mais um aniversário, não: esse é o aniversário em que ela entra numa nova década! rs!
 
Meu amor está assoprando 30 velinhas!
Sair da casa dos 20 não deve ser fácil, já estou me preparando emocionalmente desde o meu último aniversário, já que ano que vem é a minha vez de trintar! Mas acho que entrar na casa dos 30 tem, sim, seus benefícios - ainda estamos tentando descobrir quais são, hehehe!
 
Paula está comemorando esse aniversário ao lado dos pais, do irmão, da cunhada e da nossa sobrinha. Confesso que estou me sentindo um pouco frustrada por não estar ao lado dela hoje, mas foi por um bom motivo (acompanhar o nascimento da Laura)! Meses atrás eu criei muita expectativa sobre nossos aniversários de 30 anos (o dela agora e o meu em Março do ano que vem), mas, no final, nada deu certo. Estou um pouco chateada, mas, nada que eu não possa superar.
 
Sexta-feira viajo para passar o final de semana na cidade natal da Paula e irei conhecer minha sobrinha! A parte ruim é que terei que voltar no Domingo à noite e ir direto na Segunda-feira para um curso que estou fazendo no SENAC e, depois, direto para o trabalho! Vou ficar só o pó...! Mas essa é a única forma de poder conhecer minha sobrinha, então, vai valer a pena. Paula ainda ficará por lá até dia 20, então, ainda terei uma semana de tristeza e solidão pela frente (sintam o drama)! Hoje até fui obrigada a aprender a trocar chuveiro! rs! Ficar sozinha tem suas vantagens (se bem que ainda acho as desvantagens maiores)! Tive que aprender na marra, pois o chuveiro queimou hoje cedo e não consegui ninguém para trocar para mim! Paula me ensinou pelo telefone e, no final, deu tudo certo!
 
Queria muito poder dar um beijo e um abraço apertado nela hoje, estou com muita saudade e conversar somente pelo telefone para parabenizar pelo aniversário não me deixa nem um pouco satisfeita.
 
Meu amor, desejo que esses 30 anos sejam apenas o começo de muitos e muitos anos bons e felizes que virão por aí (comigo ao seu lado, obviamente! rs). Eu sei que as coisas não estão fáceis, que estamos enfrentando alguns problemas, mas sei que juntas temos força o suficiente para passar por mais essa fase difícil! Eu te amo muito, muito, muito, muito...!
 
Deixo aqui em sua homenagem um texto de amor que gosto demais e que me lembra você:

"Junho de 1835
Meu Anjo Amado,
Estou louco por você, tanto quanto se pode ser louco: eu não posso juntar duas ideias sem que você se interponha entre elas. Eu não posso mais pensar em nada além de você. Ao invés de mim, minha imaginação me leva a você. Eu te aperto, eu te beijo, eu te acaricio, mil das carícias mais amorosas tomam posse de mim. Quanto ao meu coração, lá você sempre estará – e muito. Eu tenho uma sensação deliciosa de você lá. Mas, meu Deus, o que será de mim, se você me privou da minha razão? Isto é uma obsessão que, nesta manhã, me aterroriza. Eu me levanto a todo o momento para dizer para mim mesmo: ‘Venha, eu vou lá!”Então eu me sento novamente, movido pela consciência de minhas obrigações. Há um conflito terrível. Isso não é vida. Eu nunca fui assim. Você devorou ??tudo. Eu me sinto estúpido e feliz assim que me vejo pensando em você. Eu rodopio em um sonho delicioso em que, em um instante, eu vivo mil anos. Que situação horrível! Dominar com amor, sentindo o amor em cada poro, vivendo apenas para o amor, e vendo-se consumido por dores, e preso em mil teias de aranha. Ó, minha querida Eva, você não sabia disso. Eu peguei seu cartão. Está lá diante de mim, e eu falei com você como se você estivesse aqui. Eu vejo você como ontem, linda, surpreendentemente linda. Ontem, durante toda a noite, eu disse a mim mesmo ‘Ela é minha!’ Ah! Os anjos não são tão felizes no Paraíso, como eu era ontem.”
(Balzac)


terça-feira, 8 de outubro de 2013

Para Laura, com amor

"Não sei se o mundo é bom
Mas ele está melhor
desde que você chegou
E perguntou:
Tem lugar pra mim?

Não sei se esse mundo é bom
Mas ficou melhor
Desde que você chegou
E explicou o mundo pra mim..."


domingo, 6 de outubro de 2013

Nasceu!

Nasceu hoje nossa florzinha, às 14h30min, pesando 3,050kg e medindo 50cm!

Ainda não vi fotos, mas, segundo o papai babão, ela é a cara da mãe, é loira e cabeluda!
 
Coração de titia bate forte e apaixonado... ansiosa pra viajar pra lá e beijar essa menina!

Seja bem vinda, Laura, que o mundo é todo seu!


sábado, 5 de outubro de 2013

7 anos de casadas!

Hoje eu e a Paula assopramos juntas a 7ª velinha de casadas!
 
São 7 anos morando juntas, enfrentando as lutas diárias, encarando os desafios e vencendo as dificuldades! Mas também são 7 anos de amor, cumplicidade, respeito, muito companheirismo, muita paciência e doses diárias de afeto!
 
Costumo dizer que um casal só se conhece de verdade mesmo após morar junto sob o mesmo teto. Desculpe quem pensa o contrário, mas morar cada um em uma casa não é a mesma coisa! É morando junto que você conhece de verdade a pessoa que você ama, conhece suas maiores qualidades - e também seus maiores defeitos! Eu e a Paula estamos juntas há 12 anos, mas nossa vida como casal começou a ser completamente diferente a partir do momento em que juntamos os trapinhos!
 
O dia 5 de Outubro de 2006 foi, sem a menor sombra de dúvidas, um dos melhores dias das nossas vidas! Foi um dia muito planejado e esperado por nós!
 
Infelizmente esse ano não poderemos comemorar juntas, pois, como citei num dos posts anteriores, Paula está nesse momento na sua cidade natal, aguardando pelo nascimento da nossa sobrinha! Mas adiaremos a comemoração para depois, sem problemas.
 
Meu maior desejo hoje é que esse dia seja comemorado por muitos e muitos anos!
Sonho com o dia, num futuro distante, onde faremos uma festa ao lado das pessoas queridas, filhos e (quem sabe!) netos e comemoraremos nossos 50 anos juntas!
 
O próximo passo agora é oficializar a união civil, mas ainda não temos uma data em mente.

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Ao que vai chegar...

Paula viajou essa noite rumo à sua cidade natal, para estar presente no nascimento da nossa sobrinha. Desconfio que ela nascerá nos próximos dias, pois ontem minha cunhada perdeu o tampão mucoso e hoje finalmente começaram os pródromos!

As contrações ainda não estão muito intensas e também ainda não estão com intervalos regulares, mas já estão presentes desde o início da manhã!

Por isso, quero fazer aqui um post especial em homenagem à nossa Laura, com a música do Toquinho "Ao que vai chegar":

"Voa, coração
Que ela não deve demorar
Voa, coração...


(...) 

 Que o sol de um novo amor em breve vai brilhar
Vara a escuridão, vai onde a noite esconde a luz
Clareia seu caminho e acende seu olhar
Vai onde a aurora mora e acorda um lindo dia
Colhe a mais bela flor que alguém já viu nascer
E não esqueça de trazer força e magia,
O sonho e a fantasia, e a alegria de viver"

 



terça-feira, 1 de outubro de 2013

Doce Outubro!

Depois de um post bem deprê e alguns dias de humor bem "nublado", eu e a Paula conversamos bastante e consegui me sentir um pouco melhor após desabafar sobre as muitas coisas que andam me entristecendo.
 
Infelizmente essas "coisas" por enquanto não podem mudar e muito menos desaparecer, mas quero (e preciso!) me animar e me sentir um pouco melhor!
 
Então comecei a tentar enxergar as coisas bacanas que estão acontecendo nas nossas vidas e vi que, nesse exato momento, já é 1º de Outubro... então comecei a pensar no quanto esse é um mês que tem um valor especial para nós duas: dia 5 completaremos 7 anos de "casamento" (coloco entre aspas porque não temos união estável nem civil ainda, porém, são 7 anos morando sob o mesmo teto), dia 9 a Paula faz aniversário (30 anos, uma data memorável!) e ainda tem mais: o que faz Outubro desse ano ser ainda mais especial é que será o mês do nascimento da nossa primeira sobrinha!
 
Minha cunhada completa 39 semanas de gestação amanhã e estamos todos ansiosos aguardando o nascimento da nossa pequena Laura! A data provável do parto é dia 8 (um dia antes da titia Paula!), quando ela completará 40 semanas, mas pode nascer antes ou depois. Eu apostei que ela nascerá dia 5, por causa da virada da Lua no dia 4 à noite! Veremos! Tenho a leve sensação de que ganharei essa aposta! Por conta disso, Paula viaja ainda essa semana para sua cidade natal (onde os pais, o irmão e a cunhada moram) e ficará por lá até nossa sobrinha nascer!
 
A chegada da Laura com certeza trará muitos momentos felizes para as nossas vidas. Estou tentando me apegar nisso e aproveitar a alegria da situação!
Primeira neta, primeira sobrinha e nossa primeira afilhada! Mal posso esperar para pegá-la no colo pela primeira vez!
 
Beijos a todos os meus amigos e leitores fiéis e obrigada pelos comentários no último post!

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Destino e escolhas

Nunca gostei da ideia de que somos "destinados" a alguma coisa. 
Não acredito em religião, nem em nenhum tipo de crença onde nosso destino é passar por determinadas situações e/ou sofrer alguma "provação".

Gosto de acreditar que somos nós que fazemos nosso destino. E acho que somos mesmo!

Só que muita coisa que aconteceu e ainda acontece na minha vida me faz concluir que isso é uma verdade apenas parcial. Nós podemos, sim, escolher nosso caminho, e muitas escolhas que fazemos agora, no presente, farão toda a diferença lá na frente. 

Eu sei que fiz muitas escolhas ruins. Mas fiz acreditando que estava fazendo as escolhas certas! Fiz escolhas ruins na minha vida profissional várias vezes, por exemplo! Às vezes costumo dizer que a única escolha certa que fiz nessa vida foi quando escolhi vencer as adversidades e ficar com a mulher que eu amava (e cá estamos, juntas há 12 anos e quase completando 7 anos de casadas)!

Só que, infelizmente, muitas coisas fogem completamente do nosso controle. 

Por exemplo: não temos controle sobre os infortúnios que acontecem com as pessoas que amamos. Podemos planejar nossa vida de acordo com uma "linha do tempo de acontecimentos", mas estamos sujeitos a ter que mudar tudo e a desistir de alguns projetos caso algum familiar adoeça e precise dos nossos cuidados, por exemplo. É uma coisa que pode acontecer a qualquer momento, com qualquer um, e independe da nossa vontade, dos nossos planos e dos nossos sonhos. Acontece, e pronto. Você precisa se adaptar. 

E minha família anda passando por muitas situações desse estilo nos últimos anos. Muitas... mesmo!
E sentir medo é inevitável.

Ando atualmente com um medo muito grande do futuro, dos infortúnios da vida, da velhice, das doenças, da má sorte que às vezes nos acomete. Muito medo do que me espera. E isso está me deixando pra baixo, deprê mesmo. Muita coisa aconteceu nos últimos anos e, especialmente, nos últimos meses. Nem vou entrar em detalhes porque não quero reviver nesse post nenhuma tristeza, mas afirmo que não está sendo fácil. Pela primeira vez em toda a minha vida admito que viver está sendo uma tarefa bem mais difícil do que imaginei um dia.

Nem sei porque estou escrevendo isso aqui. Expôr minha vida, minha privacidade e meus problemas não é algo que me agrade muito. Mas acho que só preciso desabafar. Colocar para fora, sabem?

Escrever sempre me faz ficar mais leve.

Várias vezes já pensei em acabar com esse blog, assim como fiz com todos os meus antigos blogs. Mas eu gosto desse cantinho, gosto de escrever aqui coisas que acho bacanas, gosto de publicar minhas opiniões e compartilhar textos com meus amigos e leitores. Apesar de tudo, aqui é uma espécie de terapia.

Sou uma pessoa com muita resistência a terapias com profissionais e, especialmente, resistente a medicamentos! Então, acho que escrever aqui, invariavelmente, me deixa um pouco mais alegre. E preciso disso. Preciso voltar a acreditar que a vida e o futuro não são um fardo tão pesado e que eu posso - e devo! - voltar a sonhar! 

Ainda sou uma sonhadora. Sempre fui e não acho que deixarei de ser de um dia para o outro.
Mas sonhar está se tornando um pouquinho mais difícil a cada dia que passa. Planejar o futuro também. Antes eu olhava lá na frente e via muita coisa boa, alegrias, esperança, dias claros... e hoje mal consigo ver alguma coisa.

Faço minhas as palavras de Amelie Poulan: "São tempos difíceis para os sonhadores".

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

E como anda o seu feminismo?

Ultimamente andei participando de algumas discussões sobre feminismo, lendo e assistindo alguns vídeos bastantes interessantes. Algumas discussões foram bem proveitosas, como a proposta por um amigo em seu blog "Homossexual e Pai", já outras (que prefiro nem citar) não foram tão boas assim e só me cansaram...

Feminismo é um tema que está presente na minha vida 24h por dia, afinal, sou mulher, lésbica e, definitivamente, sou feminista! Partindo do princípio que ser feminista é defender o direito da igualdade de gênero, onde mulheres deveriam ter os mesmos direitos que os homens, acho no mínimo estranho quando ouço/vejo outra mulher afirmando não ser feminista. Das duas, uma: ou deduzo que ela não entende nada de feminismo, ou que está tão imersa na nossa cultura machista que nem consegue enxergar a superfície!

E não é preciso ser mulher para ser feminista, não. A luta feminista é de ambos os gêneros! Gosto de dizer que os homens que realmente compreendem a essência do feminismo sabem que ele também defende seus interesses! Por exemplo: licença paternidade estendida! Por que os pais não tem esse direito? Dentre outros, o feminismo que eu acredito defende o alistamento militar não obrigatório, o direito do homem de cuidar dos filhos e da casa, se essa for sua vontade. Esses são apenas alguns exemplos.

Quero sugerir aos meus leitores um vídeo bem sucinto e muito bacana sobre feminismo, e também quero sugerir a leitura de um blog que, para mim, é uma referência no assunto, o blog da Lola: http://escrevalolaescreva.blogspot.com.br/

sábado, 14 de setembro de 2013

Como você gostaria de ter nascido?

Antes de perguntar "como você gostaria de parir", tenho uma pergunta mais importante:

"Se você pudesse voltar no tempo e escolher, como gostaria de nascer?"

Compare, reflita e faça uma escolha consciente! O vídeo abaixo compara resumidamente uma cesárea, um parto normal hospitalar e um parto domiciliar:

terça-feira, 10 de setembro de 2013

Bebês que nascem antes da hora por parto induzido podem ter prejuízo no desenvolvimento



Muitas mulheres optam pelo parto induzido ou cesárea marcada antes de o bebê estar pronto para nascer. Porém, um novo estudo mostra que a prática pode comprometer o desenvolvimento da criança. Embora o período entre 37ª a 41ª semana seja considerado normal para o nascimento, os pesquisadores notaram que crianças que chegaram entre a 39ª e a 41ª semana levam vantagem.
Para o estudo, publicado na Pediatrics, foram realizados testes de desenvolvimento e QI com 1562 crianças de 1 ano de idade. Descontados fatores como gênero, classe social e ambiente familiar, a conclusão foi de que, para cada semana a mais no útero, o bebê aumenta em 1.4 sua pontuação psicomotora (relacionada ao movimento do corpo e coordenação) e em 0.8 a pontuação em testes de habilidades neurológicas.
 
O estudo descobriu também que, nos Estados Unidos, a prática de indução ao parto aumentou 40% e da cesárea cresceu 32% desde 2007, graças, principalmente, a comodidade da ‘hora marcada’. Apesar disso, o conselho é esperar. De acordo com a médica e autora do estudo Betsy Lozoff, da Universidade de Michigan, se a gravidez está indo bem, a mãe deve evitar antecipar o parto, mesmo estando dentro do prazo aconselhável para o nascimento da criança.
 
O que o bebê quer? 
Antes de marcar uma cesárea com muita antecedência ou tentar induzir o parto, a mãe não pode esquecer de levar em consideração a natureza de seu filho. Mesmo que não nasça prematuro (ou seja, antes da 37ª semana), o bebê que vem ao mundo antes da hora pode não ter maturidade suficiente para entender que é ‘a’ hora. Isso porque quando a mulher entra em trabalho de parto, a criança passa por uma preparação para nascer que começa com as contrações uterinas. Elas funcionam como um alerta para o bebê, que passa a liberar substâncias para o amadurecimento final do próprio organismo, como o hormônio corticoide, que age no pulmão – se a mulher estiver em trabalho de parto e for preciso uma cesárea de emergência, a criança já vai estar com o organismo mais pronto. Além disso, o corpo feminino também estará mais preparado para amamentar graças a hormônios liberados no trabalho de parto.

Fonte: Revista Crescer

***

Eu sei que nenhuma mãe ou pai em sã consciência optaria por um procedimento que trará prejuízos para a saúde do seu bebê, por isso, leitoras e leitores, informem-se! Infelizmente existem muitos médicos picaretas por aí que dirão que um bebê com 37/38 semanas pode ser tirado através de uma cesárea. Desconfiem! Questionem! Se a cesárea por realmente necessária, esperem ao menos o trabalho de parto começar!

domingo, 8 de setembro de 2013

Ideia criativa para grávidas!

Encontrei a imagem abaixo no pinterest esses dias e achei MEGA criativo! 
 
A imagem mostra a evolução de uma gravidez, semana a semana, feita pela gestante, anotando num quadro negro a semana "x" da gestação e fazendo algumas observações sobre aquela fase e comparando o tamanho do bebê com frutas, por exemplo! Achei muito bacana e resolvi salvar na minha pasta do PC onde guardo tudo que encontro de interessante relacionado a gestação e bebês, para fazer algo parecido quando chegar a minha vez!
 
Então, fica aqui a dica de algumas fotografias criativas para as leitoras grávidas e futuras grávidas! ;-)

 

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Criando meninos machistas

Dia desses li um texto numa coluna do UOL que me fez pensar em como muitas famílias criam seus meninos para serem grandes babacas machistas! Arrisco dizer que na maioria das vezes os "ensinamentos" machistas originam-se na figura paterna, mas muitas vezes também são passados pelas mães, que encontram-se tão imersas na cultura machista que repassam aos seus filhos ideias e valores errados como se fossem normais.
 
Vejo muitas cenas do estilo, em vários locais: na rua, no ambiente de trabalho e até entre amigos e família. É triste, mas é fato. E precisa mudar.
 
E você, pai e/ou mãe? Será que está criando seu filho para ser um machista?
 
Leia e reflita:
 
 

Juninho, um machista no capricho!

Por Miguel Rios
Texto original UOL

Juninho nasceu. Dia de festa na família, de orgulho. O filho varão. Quarto azul, roupinhas azuis. Azul é o ursinho. Azul é o chocalho. Trata-se de um menino, homem, e tem logo que ser identificado com tal. Não deixar dúvidas.
Juninho é carregado pelos tios e logo seu pênis, mesmo diminuto, é louvado. "Pintão!". "Esse puxo ao tio!" As tias se apressam em arranjar um par para quem tem um dia de vida. "Agora a filha de Maria e João tem com quem namorar", diz uma. "Tem também a de Pedro e Juliana", lembra outra. Chegam logo a um consenso que ele dará conta de todas.
É garanhão. É homem. Surge a conclusão que ele estava virado para o lado direito, pois, nessa posição, poderia ficar de olho na menininha ao lado no berçário. Conversa vai conversa vem, alguém lança a teoria que quando ele chora as garotinhas se calam para escutar o grito másculo do conquistador.
Juninho é homem e como homem será criado. É uma família que nutre a testosterona, a macheza, com muito cuidado. Não podem fraquejar, por tudo a perder.
O menino cresce e é teleguiado na ordem. Bola e carrinho. Falcon e Comandos em Ação. Um dia Juninho tocou em uma Barbie. De imediato foi repreendido. "Não é para menino". Ele beijou um amiguinho na bochecha. Recebeu uma bronca maior. Roubou um beijo na boca da coleguinha. Quanta alegria dos pais, que fingiram desaprovar diante dos familiares da garota, mas comemoraram em casa o avanço do amado homenzinho. "Esse não nega. Vai pegar todas. Hehehehe!" Como o pai está feliz.
É gradual. Juninho aprende a ser homem, macho, como se espera, é o que tem que ser. O tio o abraça e pergunta: "Quantas namoradas já tem na escola?" Juninho responde: "Sete". O abraço fica ainda mais apertado. Respondeu assim... na obrigação, no escapa. De tanto ser questionado e ficar perdido sem saber o que falar, contou as amigas de classe e jogou o número na inocência. Foi premiado, viu que agradou. Tempos depois aumentou para oito. Mas comemorado ainda. Juninho fixou que quanto mais aumenta a soma, mais homenageado é.
Aprendeu. Homem tem que pegar muitas, tem que contar que pega muitas e aí causa contentamento. Mulher é feita para ser apanhada. Juninho já sabe que isso "é coisa de homem", que "homem é assim mesmo", "que quem quiser que prenda suas cabritas que o meu bodinho está solto". Juninho fixou.
 
Chegou na adolescência e tem consciência de que o mundo é machista, desde o começo é desse jeito, fim de papo. Ele dos que saem e paqueram. Dos que se ligam em uma garota e vão para cima. Dos que acham que a fêmea tem que ceder, que sua cantada é imbatível, que insistir é fundamental.
Juninho aprendeu com os parças que a mulher vai ali para ser incomodada, que ela faz doce, mas ela está querendo, que não tem que abrir para o beicinho dela, que macho que é macho não desiste. Ele já beijou forçando, puxou cabelo, levou tapa na cara e bateu de volta.
Juninho modelou a mente para identificar a menina para ficar e a para namorar. Normas que ele segue à risca, porque homem que é homem de respeito não se liga à vagabunda, não quer ouvir "tás com uma rodada?". Para namorar é a menina com menos fama de ficante possível. A comportada. A virginal. Para dar uns pegas é a liberta, a sem amarras, que ele conhece como piranha. A que não vai rejeitá-lo. A que taxaram como sempre disponível. Que é ir lá e pimba!, já pegou. Que se recusar ele tem o direito de reclamar: "Como assim ele ser recusado?", "Como assim aquela puta posar de difícil?". Juninho não entende. Não admite. Não foi o que lhe disseram desde sempre, está fora do eixo.
Não é o que lhe cobram. Juninho sabe que precisa corresponder. Caso algum requisito do macho ideal falte em sua ficha, ele tem que pagar. Preço, para ele, duro.
Se Juninho tropeçar diante da banca examinadora, que nunca para de fiscalizar, é chamado de gay. Instantâneo. Se fraqueja na caça sexual, é veado. Se usa um sapato fora das regras, é boiola. Se pede um chá na cantina da escola, é bicha.
Inadmissível para ele. Juninho foi doutrinado para pensar que, mas que tudo, homossexualidade é o que há de pior. Que seus tios e tias, primos e primas, avôs e avós, mãe e pai, sempre o guiaram no cabresto, com tanta pressão, tanta vigilância, tanto esforço, para evitar a desgraça. Que ele pode ser tudo. Machista, tarado, bandido, dar desfalque, trair um amigo, ser violento, mandar pessoas para o hospital. Tudo. Menos a desonra de ser gay.
Juninho treme apenas em pensar na possibilidade de que alguém bote sua macheza em dúvida. Nunca. Logo ele que para desmerecer chama logo de veadinho. Logo ele que vai para o estádio torcer e grita sem parar "Fulano, veado", "Time de mariquinhas". Que nem cogita ter um jogador homossexual manchando as cores de seu manto sagrado. Que caso ocorra vai ameaçar o cara,manda sair, já em pânico pela chacota que o adversário vai fazer pelo resto da vida.
Logo Juninho que não lava um prato, nem arruma a cama por ser trabalho de mulher. Logo ele que abusa dos gesto viris. Que abraça amigo quase na porrada para que o afeto não seja confundido com delicadeza. Que grita palavrão quando uma garota de minissaia passa, que coleciona Playboys, que de jeito nenhum chora porque nada a ver ser sensível, que transa mesmo sem estar a fim apenas para manter a reputação intacta.
Que acha que o mundo corre perigo de enveadar por causa dos direitos LGBTs. Que ficou sabendo que ativista homossexual é gayzista, que ser homofóbico é apenas bater em gays, que destratar, querer que continuem subcidadãos, subalternos, é defender o orgulho hétero, as famílias, a ordem natural. Que acha o mundo é hipócrita, já que ninguém quer ter filho gay, mas ficam defendendo.
Juninho é algoz e vítima. O mundo, que ele tanto acredita ser imutável, que como está deveria ficar, solidificou aos poucos, desde quando bateu suas primeiras palminhas, o que ele prega.
O mundo de Juninho é o de verdades velhas, fabricadas por interesse, de seus antepassados, que ele absorveu como suas. De que há pessoas subordinadas, que o lugar delas é aquele, que não têm nada que contestar. Elas têm é que se contentar.
Juninho é um rei. Está no lucro. Posto no topo da cadeia alimentar, em um ecossistema onde outros são presas. Para capturar, acasalar, procriar ou para destruir. Ele luta para perpetuar seu lugar dominante.
Juninho não atenta, em seu silêncio crítico e criativo, o quanto ele nada tem de atitude. De ele mesmo. É um papagaio, uma cópia. Um escravo, que asfixiou uma parte de si para dar satisfação, se moldar ao que se quer dele. É passivo.
Mas Juninho está nem aí, nem vai chegando. Raciocínios novos são frescuras de veado. Ficar lamentando injustiça é mimimi de veado. Homem bebe, arrota e dá no couro. E fica tudo bem.
Juninho tem mais é que se preocupar com o casamento que se aproxima. Com menina que ele desvirginou e engravidou. Não está muito na de juntar as escovas de dente, já caiu na greia dos companheiros, de que vai para a forca, que perder a liberdade, mas ele se compromete a não deixar a farra e a pegação. "Mulher em casa nada impede mulher na rua". E arranca gargalhadas. Se não der certo, separa e volta por completo para a curtição.
O importante é que Netinho nasce daqui a seis meses. Enxoval azul já encomendado. Max Steel e Hot Wheels na prateleira. Netinho vai puxar ao pai. Macho todo.

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Amor, seja como for: Rio Grande do Sul lança campanha contra homofobia



Uma iniciativa muito importante, especialmente no cenário atual onde uma parcela da sociedade (apoiada por alguns políticos e falsos líderes religiosos) resolveu revelar sua cara homofóbica - como se ser um babaca preconceituoso fosse motivo de orgulho!
 
E o exemplo dos gaúchos vai além: a secretaria da educação do RS estabeleceu uma parceira com o governo com o intuito de lançar a campanha "Educar sem discriminar", com o objetivo de combater o preconceito e o bullying nas escolas!
 
Parabéns governo do Rio Grande do Sul! Que todo o país possa seguir seu exemplo!

Leiam a notícia na íntegra aqui: http://www.sjdh.rs.gov.br/?model=conteudo&menu=1&id=1724&pg
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...